terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Mafómedes e a vantagem de ser aprendiz



Mafómedes, a aldeia mais remota do distrito do Porto, pertence ao município de Baião e é considerada um pequeno paraíso à face da Terra, onde a natureza, no seu estado puro, é o seu cartão de visita.
Quando se fala em Mafómedes é impossível não lhe associar a Tasca do Valado.
Local simpático e acolhedor, alia a genuinidade do meio com a gastronomia portuguesa. Local aprazível e literalmente desligado do mundo (muito difícil conseguir rede).

E agora perguntam: Mas porque estás tu a falar de Mafómedes e a Tasca do Valado, se este teu blog é sobre corridas e afins? Bem, é nos afins onde está inserido o tema que hoje vos escrevo: Fotografia.
Elisabete, Fotografia? Mas por que carga de água vais tu falar de fotografia?
Decidi aprender algo mais sobre a imensidão desta arte. Como adquiri uma máquina ligeiramente superior  à pequena e compacta Canon, precisava  alargar os meus horizontes para descodificar a dita e fazer uns registos mais airosos e catitas.
Coincidências: falaram-me da Susana Luzir. Falei com a Susana Luzir. Fiquei a saber que daria um workshop de iniciação à fotografia, no final de janeiro, mas só havia uma vaga... só há esta, é para mim! :D
Muito poderia falar sobre a Susana Luzir. Mas não o vou fazer. Apenas vos digo que é uma pessoa que vale mesmo a pena conhecer e não esquecer.
Susana Luzir
 28 de janeiro. Dia do workshop. Estava entusiasmada com esse dia. Curiosa também. O ponto de encontro foi, precisamente, na Tasca do Valado. A única cara conhecida, do grupo, foi o Pedro Marinho. Feitas as apresentações de cada participante, conclui que estávamos todos no mesmo pé de igualdade: não percebíamos coisa nenhuma de fotografia.
Analisar e aplicar

"artilharia"
Orientações e verificações
A manhã foi passada entre teoria sobre conceitos básicos de fotografia e um passeio pela aldeia. Embora estivesse um dia solarengo, o vento gelado tornou-se um alvo a contornar.








Fotografámos a saída das cabras para o pasto. Elas, todas lampeiras e airosas posavam para as máquinas. Estranharam mas, depois, entranharam.
airosas

Vaidosas
Lampeiras
De volta à Tasca, a Susana continuou mais uma sessão explicativa de procedimentos essenciais que fazem toda a diferença no ato de disparar. Experimenta aqui, analisa ali, verifica acolá e andávamos nós assim à volta das máquinas e objetos como cobaias.

Teste

Outro teste
Hora de almoço. Para quem conhece a Tasca do Valado não vou alargar-me sobre a qualidade  gastronómica... para quem não conhece, visitem que não se arrependerão!
Após o belo repasto o grupo seguiu, em jipes, para a Sra da Serra, o ponto mais alto da Serra do Marão. Aula prática para exercitar o que nos tinha sido explicado até então. Juntei-me ao Valter Alves e à  Marlene Pereira. Apercebi-me que se enquadravam bem no meu grupo de modelos fotográficos. Entre peripécias e brincadeiras, saíram algumas fotos que cumpriram com os objetivos pretendidos. A Susana foi incansável na verificação individual das imagens obtidas.
Marlene apanhada

timidez solar

neve ou gelo?

banho de piscina
O entusiasmo com que olhávamos para as nossas máquinas, após cada disparo, visualizar os feitos  conseguidos e mostrar ao colega mais próximo as nossas pequenas obras de arte, comprovou que foi um dia muito instrutivo e enriquecedor ao ponto de dizer " Wow, afinal consigo fazer isto!!!"
Euzinha, Valter e Marlene
Sem dúvida que com pouco se faz muito. Um dia na aldeia, num descontraído e aprazível workshop, sentir o cheiro a monte, respirar serra e conhecer pessoas fantásticas... é uma das receitas de ser feliz.
Quanto ao que aprendi... agora é colocar em prática. Continuo na tentativa e erro, mas de forma mais refinada! :)

OBS: Susana e Ricardo Rocha, um imenso obrigada pelo excelente domingo que me proporcionaram. Em breve regressarei a esse paraíso.
Valter e Marlene, obrigada pelos agradáveis momentos e pelas gargalhadas dadas. (Pena não ter conseguido pegar em mais neve para o batismo do Valter.)


5 comentários:

  1. Olha que coisa mais interessante ... eu só sei disparar o "magnifico" do meu telelé Samsung XPTO e nem máquina fotográfica tenho ;) ... curso de iniciação embora interessante ainda não sei, mas uma visita a Mafômedes e ao Tasco do Valado acho que não deve demorar muito ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um dos locais ditos inóspitos mas de um encanto único. Vai e não te arrependerás. Palavra de Elisabete. :D Beijinhos

      Eliminar
  2. Interessante é a palavra certa. Por acaso também só disparo o meu telemóvel que até se safa de forma razoável. Tenho andado a averiguar o que me custaria uma máquina decente para ir fazer umas fotos em corridas, ali plantado na meta ou afins e sinto-me sempre muito perdido com tanta informação, já para não falar do orçamento. Um workshop destes era um passo no caminho certo.

    Havendo tempo posso pensar em ir conhecer a Tasca do Valado quando for ao Douro Vinhateiro. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai que vale mesmo a pena... por tudo. ;) Beijinhos

      Eliminar