terça-feira, 3 de maio de 2016

Trilho da Preguiça

Este trilho foi realizado no passado dia 25 de abril. Contudo, só hoje consegui um tempinho para escrevinhar um pouco sobre este magnífico percurso pedreste. Não me vou alongar. Julgo que o mais interessante é poder fazê-lo... descrevê-lo não chega aos calcanhares daquilo que se sente, presencialmente.
Desta vez coloco as fotos todas no final do post. 

Desta vez foi o Miguel, da GERÊSMONT quem nos guiou pelo trilho. 
Éramos cerca de 20 os que se aventuraram a encetar a caminhada, por volta das 10h da manhã, junto à Casa da Preguiça. Algumas destas pessoas já tinham feito o trilho dos Teixeiros, no dia anterior o que tornou este ainda mais empolgante.
O Miguel guiou-nos pelo trilho que iniciou com uma súbida com alguma inclinação. Ao longo de 1 km passámos de uma cota de 665 para 850 metros. Um excelente aquecimento e oxigenação dos pulmões. :) Parámos um pouco para que recuperação do fôlego e apreciar a explêndida vista. A ascenção foi deliciosamente exigente.
Ao longo desta subida, pudemos observar a diversidade de vegetação, as cores primaveris, sentir os cheiros naturais, escutar o som das aves e o regalo das quedas de água que iam surgindo.
Quando chegámos ao ponto mais alto do percurso deparámo-nos com o imponente pé de Cabril, a fazer frente à Enconta do Arnado. Nestas paragens aproveitava para dar duas de conversa com os companheiros do trilho do dia anterior. Lá expressávamos, efusivamente, as diferentes belezas e diferentes dificuldades, as comparações inevitáveis de dois portentosos trilhos. E sim, estavámos com aquele sorriso entusiasta e animoso. Efeitos transversais provocados pelo contacto com a natureza. :)

A descida não foi fácil, exigindo algum cuidado e preparação. Atravessámos a estrada nacional para continuar a descer até ao curral da Mijaceira. Daqui até à ponte sobre o rio do Gerês foi quase sempre em calçada à portuguesa. Passámos pelo Curral da Mijaceira e apeamos um pouco para um breve lanche. O murmúrio da água acompanhou-nos até á Cascata de Leonte. Fotos da praxe e fizemos o retorno que nos levou ao Ribeiro da Cantina e à Cascata da Laja.
Locais de encanto genuíno que nos transporta para um mundo à parte.
O Miguel teve sempre  cuidado de fazer paragens seletivas e oportunas para que as pessoas pudessem descansar um pouco, tirar umas fotos e, ele próprio, aproveitava para falar do meio e da história que nos envolvia no momento.
Palmilhamos os últimos metros numa súbida simpática até ao término do percurso. Ainda houve tempo para visitar o miradouro e visualizar o vale que beija a vila do Gerês e a incomparável Albufeira da Caniçada.

Um trilho magnifico, com um excelente guia a orientar, pessoas fantásticas a caminhar... e aconselho a fazê-lo, assim que o Gerês venham visitar. :D




Início do trilho



Casa da Preguiça

Paragem para conversa e descanso






Subidinha boa!
Pé de Cabril, lá ao fundo


Cascata de Leonte


Tão sossegadinho que estava



Vista do Miradouro




Sem comentários:

Publicar um comentário