domingo, 30 de abril de 2017

Do Poço Azul à Chanfana

Vinte e três foi o dia de regressar ao Gerês! O evento a participar era a Caminhada integrada na V Feira da Chanfana, na aldeia comunitária da Ermida.
Poço Azul
6:30 da manhã, já havia movimento cá por casa. A Alexandra e o Guilherme (A Alexandra é uma amiga do coração que estou a tentar converter em atividades pedestres e, quiçá, corridas. O Guilherme é o seu filho destemido e aventureiro) tinham pernoitado por aqui. O Rafael juntou-se ao grupo madrugador. Mochilas preparadas, cintos apertados... a caminho do Gerês!
Após uma viagem tranquila chegámos à Ermida. A concentração era junto à Capela. Assim que lá coloco os pés encontro o senhor Jorge Lobo. A festa não podia ser melhor! Com pulinhos de alegria e um forte abraço, é assim que se começa a manhã por ali.

Receção ao "Lobo"!
Em seguida encontro outro Jorge, mas desta vez o Ferreira. Aquele Jorge que tem um jeito danado para a fotografia e que me fez um registo memorável no meu mundinho das corridas (O magnífico salto na meta da maratona do Gerês)!

Jorge Ferreira, o fotógrafo "gafanhoto"!
Mais um abraço e cumprimentos e sorrisos e esbanjamento de alegria por todos os poros. De repente escuto meu nome. Era o Marco Soares. Uma figura emblemática em registos fotográficos pelas suas inúmeras caminhadas por essas montanhas fora. Mais cumprimentos e boa disposição!
Os guias estavam a organizar grupos e a dar informações sobre a essência da caminhada. Seriam 11 quilómetros técnicos. Foi nesta parte que julguei que a Alexandra teria um colapso... tanto quilómetro!! Mas, animada por uns e motivada por outros, incluindo os miúdos, alinhou no grandioso desafio de calcorrear os trilhos do Gerês.
O grupo de caminheiros era enorme. Não sei precisar, mas rondaria uma centena. Os guias seguiam cada um com seu grupo. Nós seguimos com o Jorge Lobo que foi convocado para guia no último minuto. 
O Sol estendeu-nos uma passadeira de calor e energia. Iluminou todos os caminhos e aqueceu cada passo.
AI o que me espera!
O passeio foi tudo menos monótono. O caminho mudava de tipologia a cada curva. Tanto pisávamos terra batida como, em seguida, já descíamos por um trilho acidentado que exigia atenção redobrada e cuidados adicionais na colocação dos pés. 
O panorama que nos envolvia era, simplesmente, soberbo. As cores da primavera intensificaram-se com o brilho do Sol. Os cheiros naturais do monte, as águas envergonhadas que corriam nos seus cursos, o som dos pássaros, a comunhão dos sentidos com a natureza, enchia o coração.

Atentos e encantados!


Os miúdos estavam extasiados com este novo desafio. A Alexandra apenas sentiu uma pequena dificuldade, mas foi ultrapassada graças à presença do apoio logístico (breve passeio de jipe integrado na sua estreia pela serra).
Tratamento VIP
Encetámos o último trilho que nos levaria, diretamente, ao Poço Azul. Embora obrigasse a alguns cuidados, era um caminho sem ladeiras acentuadas. A paisagem essa, é brutalmente magnifica. Muito difícil descrever, na integra, o que os olhos absorvem.
O descanso dos guerreiros
Poço Azul à vista. Já lá estavam instalados todos os restantes elementos do grandioso grupo. Dois deles, tendo tanto de corajoso como de insano, mergulharam nas águas frias do Poço. Belo e arrepiante!
Rafael no Poço Azul!


A pausa para ingerir algo e apreciar aquele paraíso tinha terminado. Estava na hora de fazer o retorno.
Uma brisa veio atenuar o calor que se intensificava perto das 12h. Para combater algum cansaço que já se fizesse sentir, as conversas foram aumentando, as brincadeiras eram uma constante e as poses estratégicas para as fotos também ficaram registadas. Ter na caminhada um amigo, que também é fotografo profissional, a saltitar de um lado para o outro, é no que dá!
O fotografo à espera da melhor altura para o disparo
Chegámos à Ermida e ao largo da Capela. A Chanfana já nos aguardava, e nós ansiosos por a devorar.
O ambiente era tipicamente popular das festas da aldeia e aqui estava feliz!



Um domingo extraordinariamente bem passado, na companhia das melhores pessoas que alguém pode ter como amigas e ainda terminar toda "babada" por o Rafael ter dado cartas neste percurso e querer fazer outros similares! Este é o meu menino!



ATACE ERMIDA, muitos parabéns pela excelente organização e todo o apoio prestado ao longo do percurso. Em breve voltarei! ;)







Sem comentários:

Publicar um comentário